Pontapé na Blogoesfera

Um blog como "a bola": sem medo de revelar a sua preferência clubística

domingo, maio 12, 2013

Algumas considerações na sequência do jogo de ontem

1) Até aqui, tenho citado o ditado popular português segundo o qual "até ao lavar dos cestos é vindima". Agora, mais que nunca o repito. Estou, obviamente, muito satisfeita. Mas ainda não lanço os foguetes. "Ainda", espero! Confiante na capacidade da minha equipa e na sua mentalidade ganhadora, mas sem euforias.
2) Quanto à natureza dos golos, há alguma sorte no primeiro do Porto, reconheço. Mas o do Benfica resulta de uma série de ressaltos sortudos. O segundo golo é marcado aos 91 minutos. Convém esclarecer que o tempo extra (não o programa do Rui Santos) faz parte do jogo. E, neste caso, até foi de uma justiça poética, depois do Benfica, qual equipa pequena, ter andado a queimar tempo a partir dos 13 minutos. Vejam-se as sucessivas demoras de Artur nos pontapés de baliza, a saída de Lima ou a bola que não servia para o Sálvio fazer o lançamento.
3) Ontem reforcei a ideia de que os benfiquistas são muito ingratos com Proença. Referir-me-ão o fora-de-jogo de James, inconsequente por causa do poste, ou o de Maicon, do ano passado. Devo lembrar que foras-de-jogo são competência do fiscal de linha. O que competia ao Proença, no jogo da Luz, era ter assinalado o penalty que Cardozo fez, ao tocar duas vezes e deliberadamente na bola dentro da sua grande área. Também lhe competia ter expulsado Javi Garcia, que pontapeou Lucho na cabeça, quando este já estava caído no chão; se aquilo não foi uma agressão, não sei o que possa ser. Já nem vou falar de Maxi Pereira, porque esse é inimputável em jogos nacionais (por isso, depois, quando joga em competições europeias, estranha ver um amarelo). Do jogo de ontem dirão que Proença fez uma grande arbitragem, dada a ausência de "casos". Para mim, é um caso que qualquer recuperação de bola por parte do FCP fosse considerada falta, não sendo aplicado o mesmo critério nos "cortes" benfiquistas.

2 Comments:

  • At 1:51 da tarde, Blogger Miguel Simões Correia said…

    Completamente de acordo. Apenas faria dois reparos e adicionaria um dado.
    O reparo é relativamente ao tempo perdido: o Benfica começou a perder tempo e a fazer anti-jogo desde os primeiros segundos, logo com um lançamento lateral. Nem menciono o Artur, alvo de extrema benevolência por parte do senhor Proença. O segundo reparo é que o Lucho não foi pontapeado na cabeça uma vez, mas sim duas. Ambas estando ele no chão e o jogo interrompido.
    Relativamente aos casos do ano passado, convém não esquecer também que o segundo golo encarnado nasce de uma falta inexistente.

     
  • At 2:18 da tarde, Blogger V. said…

    Miguel, é que eu também sou dada à benevolência e poupei os leitores a uma lista exaustiva.

     

Enviar um comentário

<< Home